quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

31/12/2008 - 17h40

África domina e vence as duas provas na São Silvestre

Fernando Narazaki e Rafael Krieger
Em São Paulo
Pelo segundo ano seguido os africanos fizeram a festa na São Silvestre. Mesmo sem contar com nomes de expressão internacional, o continente viu a etíope Yimer Wude Ayalew e o queniano James Kipsang serem os campeões da 84ª edição, realizada na tarde desta quarta-feira, em São Paulo.

Ayrton Vignola/Folha Imagem
Kipsang se firmou na frente na segunda metade da prova para ganhar em 44min42s
Ayrton Vignola/Folha Imagem
A atleta da Etiopia Ymer Wude Ayalew vence a 84ª edição da São Silvestre
LEIA MAIS SOBRE A SÃO SILVESTRE
VEJA VERSÃO ESPANHOLA DA PROVA
VEJA MAIS FOTOS DA PROVA
LEIA MAIS SOBRE ATLETISMO
GARÇOM CORRE COM COPOS CHEIOS
VANDERLEI EVITA DIZER ADEUS
VEJA FOTOS DA PROVA DE VANDERLEI
FOTOS DA CARREIRA DE VANDERLEI
Assim, a África repete a festa do ano passado, quando o Quênia levou as duas taças com Alice Timbilili e Robert Cheruiyot. É a primeira vez desde 2000 que o Brasil amarga duas edições consecutivas sem vencer a prova. Naquela ocasião, os quenianos Paul Tergat e Lydia Cheromei sagraram-se bicampeões em 1999 e 2000.

Sem a festa no lugar mais alto do pódio, restou aos brasileiros celebrar a despedida de Vanderlei Cordeiro de Lima, que foi um dos mais assediados pela torcida. Ele teve de interromper várias vezes o seu aquecimento e mostrou muita emoção. "Estou muito emocionado e agradeço a todos que sempre me ajudaram. Eu me despeço feliz", disse.

O melhor brasileiro na prova foi Raimundo Nonato, sétimo colocado, com o tempo de 46min03. Vanderlei Cordeiro acabou na 102ª posição, depois de 52min12s.

Maior esperança do país, Franck Caldeira, campeão em 2006, abandonou no décimo quilômetro da prova, repetindo o que fizera no ano passado. A melhor brasileira foi Fabiana Cristiane da Silva, que terminou na segunda colocação, seguida pelas compatriotas Marily dos Santos, Edielza Alves do Santos e Luzia de Souza Pinto.

Já a prova masculina terminou, inclusive, com os brasileiros fora do pódio. Além da vitória de Kipsang, a sua primeira na São Silvestre, o Quênia teve o segundo e terceiro colocados com Evans Cheruiyot e Kiprono Mutai, respectivamente. O tanzaniano Marco Joseph foi o quarto, e o colombiano William Jesus fechou o pódio.

No feminino, a tanzaniana Sara Ramadhani iniciou com tudo e disparou na frente já nos primeiros metros da prova. Após o Elevado Costa e Silva, ela passou a ver a distância diminuir e acabou superada pela etíope Yimer Wude Ayalew na altura do sétimo quilômetro. A partir daí, a representante da Etiópia abriu mais de 200 metros de frente para apenas administrar e vencer a prova em 51min37s, cruzando a frente de Kipsang, que cruzou segundos depois.

Já no masculino, o Brasil teve um rápido momento de felicidade até o final da rua Consolação, quando Gladson Barbosa liderava. Porém, ele foi alcançado pelo queniano Evans Cheruiyot e, a partir daí, os africanos tomaram conta da prova. Em bloco, eles tiraram o brasileiro da disputa e James Kipsang se firmou na frente na segunda metade do percurso para ganhar em 44min42s.

Com o triunfo de Yimer Wude, a Etiópia celebra o seu segundo título na prova feminina. Até então, a única etíope a triunfar foi Derartu Tulu, em 1994. Já no masculino, o Quênia tornou-se o país com mais títulos, sendo o 11º na história. O Brasil está logo atrás com um a menos.

Fonte
Uol

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

30/12/2008 - 19:34
Tamanho da letra A- A+
Brasil amplia rede de proteção e promoção social e atende 63,8 milhões em 2008
'; writethis(jsval);//-->
Os programas do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) atendem 63,8 milhões de pessoas, em todos os municípios, e os seus investimentos - que têm contribuído para que o Brasil avance no enfrentamento da pobreza, da fome e da desigualdade - totalizaram R$ 28,7 bilhões, em 2008. As iniciativas nas áreas de Assistência Social, Segurança Alimentar e Nutricional e Transferência de renda fortalecem, a cada dia, a rede brasileira de proteção e promoção social e ganham destaque na agenda internacional.

"Os programas do MDS chegam às classes mais pobres. Pessoas que nunca compraram estão consumindo bens e serviços básicos e, com isto, estimulando as economias locais e regionais, gerando empregos", comenta o ministro do MDS, Patrus Ananias. Na sua avaliação, a rede de proteção e promoção social - além da dimensão ética e humana - assegura o direito à alimentação, o direito à vida e tem um efeito prático: garante a sustentabilidade e o crescimento econômico.

Maior programa de transferência condicionada de renda do mundo, o Bolsa Família está presente em 11 milhões de lares, sobretudo nos mais vulneráveis. Neste ano, por exemplo, já somam quase 100 mil o número de famílias indígenas, em situação de rua, resgatadas de trabalho análogo a escravos e remanescentes de quilombos, incluídas no programa desde 2006. O Programa, que completou cinco anos, também incluiu o benefício destinado aos jovens de 16 e 17 anos. Já são atendidos 1,6 milhão de adolescentes.

Reajuste

Outra novidade no Bolsa Família, em 2008, foi a recomposição no valor do benefício, que teve reajuste de 8% para manter o poder de compra devido a elevação no preço dos alimentos. Além disso, o índice de acompanhamento da freqüência escolar se manteve em 82% dos alunos atendidos pelo Programa em todos os períodos deste ano. Também começou a ser implementado o Plano Setorial de Qualificação (Planseq Bolsa Família), em parceria com a Casa Civil e o Ministério do Trabalho e Emprego.

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), divulgada este ano, constatou que o recurso do Bolsa Família é utilizado, principalmente, na compra de alimentos. Em seguida, o dinheiro, segundo os beneficiários, é utilizado na compra de material escolar (46%), vestuário (37%) e remédios (22%). O levantamento mostrou que 94% dos titulares do cartão são mulheres, 78% vivem na área urbana e 65% são pretos ou pardos. E 99,5% afirmaram que não deixaram de fazer algum tipo de trabalho depois que passaram a receber o benefício.

"O Bolsa Família é um programa fundamental na nossa política de segurança alimentar e nutricional. Quebra a tendência de criar gerações futuras com o nível de pobreza das gerações atuais", observa a secretária-executiva do MDS, Arlete Sampaio. Ela destaca que o "Bolsa Família contribui de maneira significativa para reduzir as desigualdades sociais no Brasil".

Segurança Alimentar

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) completou cinco anos em 2008 e investiu R$ 1,5 bilhão na agricultura familiar, atendendo a 110 mil produtores. Cerca de 7,7 milhões de pessoas recebem alimentos do Programa. O MDS também apoiou estados e municípios a construírem 63 restaurantes populares, 371 cozinhas comunitárias e 55 Bancos de Alimentos.

A fim de criar oportunidades para que as famílias pobres que vivem no Semi-Árido brasileiro possam ter alimentação adequada, o MDS iniciou em 2008 a ação denominada Segunda Água, que utiliza diferentes tecnologias para armazenar e conservar as águas das chuvas para utilizar na produção de alimentos. O Programa chega em 2009 nos municípios onde já existe o Programa de Cisternas, conhecido como Primeira Água, destinado ao preparo das refeições, consumo das famílias e higiene pessoal, e que atende a 264 mil famílias do Semi-Árido.

sábado, 27 de dezembro de 2008

CONFRATERNIZAÇÃO DA COOPAPI





27/12/2008

O jantar de confraternização da COOPAPI, aconteceu nesta sexta feira dia 26 de Dezembro na churrascaria Apodi com grande participação de sócios e convidados. A Cooperativa Potiguar de Apicultura tem mostrado para o município de Apodi e todo estado do Rio Grande do Norte como é importante essa entidade para os agricultores, principalmente os que fazem parte como sócio da mesma, iniciou a pouco mais de cinco anos com uma pequena organização de apicultores e hoje é uma entidade grande e forte comercializando mel castanha de caju, em larga escala, já está até exportando esses produtos para o exterior, ou seja a produção dos pequenos agricultor está sendo vendido diretamente ao consumidor em outros países em dólar valorizando assim a produção do pequeno agricultor. A COOPAPI está na segunda gestão tendo como presidente Fátima Torres, a mesma tem se mostrado uma grande articuladora junto a direção e o quadro de sócio, chegando ao ponte de unir outra entidade(COAFAP) para se fortalecer e competir com os grandes na conquista do mercado. Ontem a noite vimos como a família COOPAPI está unida em torno dessa entidade, pois cada um que ia ao microfone defendia a cooperativa coisa que a muitos anos não acontecia no cooperativismo de Apodi

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Concursos em todo o país oferecem mais de 28 mil vagas

O ano de 2008 foi cheio para os concurseiros. Inúmeros concursos com boas remunerações foram realizados em todo território nacional. Neste final de ano, mais de 30 concursos estão abertos em todo o Brasil, oferecendo cerca de 28 mil vagas em todos os níveis de escolaridade. Os salários podem chegar até R$ 17 mil. Confira aqui a lista de alguns dos concursos com inscrições abertas em diversas regiões:

- Agência Nacional de Águas: Inscrições abertas até 28/12/08 - 152 vagas - Salário máximo R$ 8.389,60

- Companhia Estadual de Habitação Popular da Paraíba: Inscrições abertas até 13/01/09 - 124 vagas - Salário máximo R$ 1.286,39

- Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul: Inscrições abertas até 08/01/09 - 28 vagas - Salário máximo R$ 3.547,47

- Corpo de Bombeiros de Minas Gerais: Inscrições abertas até 30/12/08 - 1.169 vagas - Salário máximo R$ 1.614,02

- Corpo de Bombeiros de Rondônia: Inscrições abertas até 11/01/09- 150 vagas - Salário máximo R$ 1.513,04

- Defensoria Pública de São Paulo: Inscrições abertas até 14/01/09 - cadastro reserva - Salário máximo R$ 5.000,00

- Departamento de Trânsito do Distrito Federal: Inscrições abertas até 04/01/09- 125 vagas - Salário máximo R$ 5.849,75

- Eletrobrás Termonuclear (Eletronuclear): Inscrições abertas até 09/01/09- cadastro reserva - Salário máximo R$ 4.257,57

- Eletrosul Centrais Elétricas S.A: Inscrições abertas até 31/12/08- 33 vagas e cadastro reserva - Salário máximo R$ 3.138,59

- Governo do Tocantins: Inscrições abertas até 22/01/09- 1.218 vagas - Salário máximo R$ 3.727,08

- Instituto Nacional de Propriedade Industrial: Inscrições abertas até 04/01/09 - 120 vagas - Salário máximo R$ 7.269,67

- Instituto Tecnológico de Aeronáutica: Inscrições abertas até 20/02/09- 26 vagas - Salário máximo R$ 8.905,26

- Ministério da Justiça: Inscrições abertas até 15/01/09- 56 vagas - Salário máximo R$ 3.401,00

- Ministério do Desenvolvimento Agrário: Inscrições abertas até 18/01/09- 202 vagas - Salário máximo R$ 2.588,51

- Ministério das Relações Exteriores: Inscrições abertas até 12/01/09- 150 vagas - Salário máximo R$ 4.818,38

- Polícia Civil do Rio de Janeiro: Inscrições abertas até 09/01/09- 300 vagas - Salário máximo R$ 1.676,76

- Polícia Civil do Rio Grande do Norte: Inscrições abertas até 28/12/08- 438 vagas - Salário máximo R$ 7.957,18

- Polícia Militar do Espírito Santo: Inscrições abertas até 30/12/08- 680 vagas - Salário máximo R$ 1.833,92 39

- Polícia Militar de Rondônia: Inscrições abertas até 04/01/09 - 500 vagas - Salário máximo R$ 1.513,04

- Polícia Militar de Santa Catarina: Inscrições abertas até 12/01/09 - 35 vagas - Salário máximo R$1.545,02

- Prefeitura de Bebedouro: Inscrições abertas até 09/01/09- 452 vagas - Salário máximo R$ 6.200,00

- Prefeitura de Ipojuca: Inscrições abertas até 11/01/09- 439 vagas - Salário máximo R$ 505,55

- Prefeitura de Salvador: Inscrições abertas até 11/01/09- 1.471 vagas - Salário máximo R$ 4.500,00

- Prefeitura de Suzano: Inscrições abertas até 23/01/09- 115 vagas - Salário máximo R$ 4.562,72

- Procuradoria Geral do Estado de Alagoas: Inscrições abertas até 24/12/08 - 14 vagas - Salário máximo R$ 9.496,43

- Secretaria da Educação do Estado de São Paulo: Inscrições abertas até 31/12/08- 11.749 vagas - Salário máximo R$ 654,86

- Secretaria da Educação do Distrito Federal: Inscrições abertas até 29/12/08- 6 mil vagas - Salário máximo R$2.802,90

- Secretaria de Saúde do Estado da Bahia: Inscrições abertas até 18/01/09 - 850 vagas - Salário máximo R$ 3.556,59

- Secretaria de Saúde do Distrito Federal (1) Inscrições abertas até 07/01/09- 35 vagas - Salário máximo R$ 1.510,84

- Secretaria de Saúde do Distrito Federal (2): Inscrições abertas até 07/01/09 - 155 vagas - Salário máximo R$ 2.489,76

- Tribunal de Contas do Estado do Piauí: Inscrições abertas até 05/01/09- 4 vagas - Salário máximo R$ 5.500,00

- Tribunal de Justiça do Estado do Amapá: Inscrições abertas até 16/01/09 - 10 vagas - Salário máximo R$ 17.785,34

- Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins: Inscrições abertas até 18/01/09- 187 vagas - Salário máximo R$ 2.617,12

CorreioWeb

INSS reinicia amanhã pagamento de benefícios



O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) recomeça nesta sexta (26/12) o pagamento dos benefícios. Neste dia recebem os beneficiários que ganham até um salário mínimo e têm cartão de pagamento de final 3, sem considerar o dígito. inss

Segundo o Ministério da Previdência Social, ontem (24/12) não foi liberado o pagamento para evitar o acúmulo de pessoas nas agências bancárias na véspera do feriado de Natal, quando o horário de atendimento nos bancos ficou reduzido a duas horas. De acordo com o ministério, o pagamento de beneficiários com cartão de final 1 e 2 foi antecipado em dois dias e liberado nos dias 22 e 23 deste mês.

De acordo com o ministério, as datas em que o expediente bancário ocorre em horário reduzido não são consideradas dias úteis para a realização dos depósitos.

Os segurados que tiverem dúvidas sobre o calendário podem ligar para os operadores da Central 135. A outra opção é acessar a internet (www.previdencia.gov.br) e clicar no link Extrato de Pagamento de Benefício, que fica no centro da página principal. O extrato, no entanto, fica disponível somente a partir do dia em que o pagamento é depositado no banco.

Da Agência Brasil
Vamos surpreender quem não acredita no Brasil, diz Lula a moradores de rua

25/12/2008

Durante tradicional encontro de Natal com moradores de rua, realizado na terça-feira (23) em São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar que o Brasil está preparado para enfrentar os efeitos da crise internacional e disse que demitir pessoal, neste momento, é precipitado.

“Nós vamos surpreender aqueles que não acreditam no Brasil”, afirmou o presidente.

Lula recebeu reivindicações de representantes dos moradores de rua e falou sobre os cuidados do governo às classes de renda mais baixa da população.
“Não tem nada mais fácil do que cuidar de pobre, porque com um pouquinho de dinheiro uma mãe vai ao supermercado e compra tudo o que precisa. Mas cuidar de rico é uma desgraça, custa caro”, afirmou, referindo-se aos trilhões de dólares empenhados pelos bancos centrais de todo o mundo para ajudar os bancos afetados pela crise.
“No Brasil, a gente não teve esse problema, não passamos dinheiro para bancos. E se tiver que passar alguma coisa, vamos passar para quem produz e gera emprego. Vamos passar para quem vai produzir um produto e gerar um emprego”, afirmou.
No encontro, moradores de rua reclamaram da burocracia que dificulta o cumprimento de programas voltados a eles e queixaram-se das agressões sofridas pela prefeitura de São Paulo – administrada pelo demo Gilberto Kassab. Entre outras acusações, eles disseram que são atacados com jatos d’água durante a madrugada.

“Eu confesso que eu achava que, em São Paulo, as coisas estavam andando bem, porque eu falei, da outra vez que vim aqui, com o prefeito. E, pelo que estou vendo, as coisas não aconteceram”, lamentou o presidente. E continuou: “É um descalabro as pessoas não respeitarem um ser humano apenas porque ele é pobre”.

Durante tradicional encontro de Natal com moradores de rua, realizado na terça-feira (23) em São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar que o Brasil está preparado para enfrentar os efeitos da crise internacional e disse que demitir pessoal, neste momento, é precipitado.

“Nós vamos surpreender aqueles que não acreditam no Brasil”, afirmou o presidente.

Lula recebeu reivindicações de representantes dos moradores de rua e falou sobre os cuidados do governo às classes de renda mais baixa da população.
“Não tem nada mais fácil do que cuidar de pobre, porque com um pouquinho de dinheiro uma mãe vai ao supermercado e compra tudo o que precisa. Mas cuidar de rico é uma desgraça, custa caro”, afirmou, referindo-se aos trilhões de dólares empenhados pelos bancos centrais de todo o mundo para ajudar os bancos afetados pela crise.
“No Brasil, a gente não teve esse problema, não passamos dinheiro para bancos. E se tiver que passar alguma coisa, vamos passar para quem produz e gera emprego. Vamos passar para quem vai produzir um produto e gerar um emprego”, afirmou.
No encontro, moradores de rua reclamaram da burocracia que dificulta o cumprimento de programas voltados a eles e queixaram-se das agressões sofridas pela prefeitura de São Paulo – administrada pelo demo Gilberto Kassab. Entre outras acusações, eles disseram que são atacados com jatos d’água durante a madrugada.

“Eu confesso que eu achava que, em São Paulo, as coisas estavam andando bem, porque eu falei, da outra vez que vim aqui, com o prefeito. E, pelo que estou vendo, as coisas não aconteceram”, lamentou o presidente. E continuou: “É um descalabro as pessoas não respeitarem um ser humano apenas porque ele é pobre”.
Fonte Diret. PT

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

A existência de Deus

24/12/2008



Nestes tempos natalinos cabe-nos refletir um pouco sobre as coisas de Deus. E nada mais importante que a discussão sobre a própria existência de um ser superior.

Transmito ao pequeno clube de leitores deste canto de página, o magistral poema de Pedro Bandeira.

Deus está nas idéias de Platão,
Aristóteles, Confúcio, Cicero e Dante,
Gutenberg, Parret, Galeno e Kant,
Leonardo, Beethoven e Salomão.
Quem afirma que Deus é ficção
É nocivo, pequeno e ignorante
Para o mundo é insignificante
Porque Deus é a própria inteligência
É a luz sublimada da ciência
Transformando uma célula num gigante!

Deus está no sol quente e causticante
Nas camadas sutis e argilosas,
Nas chapadas das serras arenosas,
Nas cascatas do bosque horripilante,
Nas jornadas saudosas do emigrante
Que se vive a sofrer não se maldiz
Deus existe no caule e na raiz
Na bondade, no amor, na esperança
E no sorriso inocente da criança
Que não sabe o que é ser infeliz...



Deus está no voar dos colibris
Única ave que voa à marcha-ré
Bota a marcha de força e não dá fé
Que a cabeça está perto do chassis;
Deus existe nos verdes alcantis,
Nos talhados globais que o mundo tem,
No chacal, no cancão e no vem-vem,
Na floresta assombrosa e no arbusto
E na caneta de ouro do homem justo
Que não rouba um tostão de "Sêo" Ninguém


Deus existe no mar com suas tonas
Nas colcheias dos vates nordestinos,
Nos sussurros dos córregos cristalinos
E nas jazidas de ouro do amazonas;
Nas ingênuas libélulas que são donas
Das gotículas de orvalho das manhãs,
Nas gaivotas do mar, nas jaçanãs
No segredo do fogo e nas centelhas
E no zumbido sonoro das abelhas
Festejando um partido de "milhãs".


Deus está no foguete e no avião,
Nas emendas do paralepipédico,
Na ciência das mãos do próprio médico,
Que tentou transplantar um coração
No relâmpago, na chuva, no trovão
E nas fagulhas que vão na correnteza
Na paixão, na humildade e na nobreza,
Nos tecidos da teia da aranha
E no poeta no pé de uma montanha
Recebendo as lições da natureza.


Deus existe em todos minerais,
Nos insetos nas aves, nos abrolhos,
Nas lanternas dos nossos próprios olhos
E nas camadas das nuvens pluviais
Na metamorfose nos rosais
Na essência da flor e no paul,
Nas estrelas, no chão, no céu azul,
No escuro, no ar, na lua clara
No calor do deserto de Saara
E na frieza sem fim do pólo sul.


Deus está na criança abandonada
Que soluça com fome e não comenta
E no silêncio do louco que senta
Na palhoça da beira da estrada
Nos rangidos do remo da jangada
Que uma parte é molhada e outra, enxuta,
Deus está no preâmbulo da conduta
Do poeta que conta a sua história
E nas medalhas de ouro da vitória
De quem parte pra o campo e ganha a luta


Deus existe em um cérebro eletrônico,
Nos cristais que dão vida ao microfone
No mistério da voz do telefone,
No artista atual do mundo harmônico;
Num piano melódico e sinfônico
Na energia atômica e na corrente
No progresso do mundo atualmente
Na caneta, na tinta e no papel,
E no milagre infinito da EMBRATEL
Que atira a imagem em nossa frente.


Deus está numa máquina de escrever
Na mecânica da nova matemática
Na consciência tranqüila da gramática
E numa fita que fala e ninguém vê,
Sua faixa estirar nem encolher
Entre a cor, a cadência e a qualidade
Dependendo de ter velocidade
Ela grava, desgrava e pede bis
Da maneira que a boca humana diz
Ela canta pra toda humanidade.


Deus está nesse encontro entre nós
Nos amigos que sentem meus problemas,
Nos adultos que escutam meus poemas,
Nas crianças que aplaudem a minha voz
Já esteve, ainda está, e logo após
Reunidos daqui viajaremos
Deus é tudo na vida o que nós temos
Crer em Deus é ter flores na memória,
É saber que a morte é grande glória
Para a vida eterna que teremos!

C. Nteto

G Oeste

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Wilma: aliança com Garibaldi acabou

Ivanízio Ramos
A aliança que uniu a governadora Wilma de Faria (PSB) e o presidente do Senado, Garibaldi Filho (PMDB) nas eleições em Natal foi restrita às circunstâncias eleitorais de 2008 e já acabou. A certeza de que os dois passaram a seguir em direções opostas foi sinalizada pela governadora ao conversar com jornalistas, nesta segunda, no almoço de confraternização natalina oferecido à imprensa no Olimpo Tirol. Na oportunidade, Wilma de Faria disse que a aliança acabou e cobrou de Garibaldi que traga ao estado alguma obra importante para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Norte, na condição de ‘‘terceira pessoa mais poderosa do país’’. ‘‘Não somos aliados. A aliança acabou quando acabou a eleição’’, comentou a governadora.


Wilma de Faria disse que Garibaldi ‘‘tem força suficiente’’ para trazer benefícios para o estado, mas ainda não trouxe. ‘‘Eu acho que ele está se saindo muito bem como presidente do Senado, como legislador, mas está faltando trazer grandes benefícios para o estado. O senador Garibaldi Filho hoje é a terceira pessoa em termos de poder do país. Era o momento e oportunidade dele trazer para a sua terra algo especial e isso ainda não aconteceu’’, criticou. A governadora disse que já conversou com Garibaldi sobre o assunto e deu várias sugestões, especialmente a de ampliação do porto de Natal, que considera obra fundamental para o estado. ‘‘Precisamos de outro terminal graneleiro para trazer para cá grandes empresas, para que tenhamos nossas exportações saindo daqui, o que é fundamental para o nosso estado e era o momento dele conseguir como presidente do Congresso Nacional’’, reforçou.


Falando sobre o quadro político-partidário que se desenha no RN, a governadora afirmou que uma possível candidatura da senadora Rosalba Ciarlini (DEM) ao governo do estado não está entre as que ela cogita apoiar. ‘‘Não. Nossa aliança é com o presidente Lula. Nossa aliança é com os partidos que estão hoje na nossa base. A gente já foi aliado do DEM, mas com o DEM nos apoiando. E foi no momento em que o apoio foi no segundo turno, na minha eleição de 2002’’, comentou. ‘‘Uma aliança com o DEM é remota, depende muito do nosso partido, o PSB, a nível nacional. O nosso partido tem também as suas determinações em termos de aliança, ele orienta os partidos preferenciais para nos aliarmos’’.


A governadora reforçou que continua com a mesma base aliada ‘‘vitoriosa em 2006’’, incluindo nela o PV, da prefeita eleita Micarla de Sousa. ‘‘Até agora nós continuamos com a mesma base aliada que tínhamos antes: PR, PMN, PTB, PP, PCdoB, o PV também’’. Wilma de Faria disse que o candidato a governador do grupo deve sair desta aliança, e que trabalha para que o nome do postulante seja definido ‘‘até julho, ou até dezembro’’ de 2009. ‘‘Eu quero chegar até dezembro, porque acho que julho é muito sonho’’.


Juliska Azevedo
Da equipe do Diário de Natal


domingo, 21 de dezembro de 2008

MUDANÇAS, PARA PIOR

O STF (Supremo Tribunal Federal) em sessão do dia 17/12, promoveu mudanças na Lei n°. 11.738/2008, conhecida como Lei do Piso dos Profissionais do Magistério Público da Educação Básica. Mudanças para pior, deve-se registrar.
O STF manteve o valor de R$950,00 (novecentos e cinquenta reais), mas, ao modificar os critérios para se calcular este valor, mudou totalmente o conceito de Piso.
Pela Lei, o Piso deveria ser integralizado como vencimento inicial a partir de 1°. de janeiro de 2010, sendo que aos vencimentos atuais deveriam ser acrescidos 2/3 da diferença, já a partir de 1°. de janeiro de 2009.
As vantagens pecuniárias só poderiam ser consideradas para o efeito de cálculo durante o ano de 2009, para iniciar a implantação do Piso (conforme o artigo 3°. e seus incisos e parágrafos). A partir de janeiro de 2010, o valor de R$950,00 (corrigido) seria referente aos vencimentos iniciais. As vantagens seriam somadas a este valor.
A decisão do STF mudou esta determinação, alterando o conceito de Piso estabelecido na Lei 11.738/2008.
De acordo com os Excelentíssimos Ministros do Supremo, todas as vantagens podem ser consideradas para efeito do cálculo do Piso. Isto quer dizer que os R$950,00 serão referentes não mais apenas ao vencimento inicial, mas ao somatório do salário básico mais todas as vantagens recebidas pelos profissionais do magistério.
Esta interpretação do STF, repita-se, alterou o conceito do Piso estabelecido na Lei n°. 11.738/2008, diminuindo sobremaneira a perspectiva de melhorias salariais do conjunto dos profissionais do magistério público da educação básica brasileira.
Outra modificação foi a derrubada do § 4°. do artigo 2°. da Lei, que trata da carga horária. Outra perda para a categoria. Como se sabe, este parágrafo trata da carga horária e estabelece o limite máximo de 2/3 (dois terços) dela para o desempenho em sala de aula e 1/3 para extra-classe. Com a decisão do STF, são os municípios e estados que definem a distribuição da carga horária.
Resumo da ópera: o STF modificou exatamente os itens que mais representavam avanços e melhorias para a educação brasileira, atendendo parcialmente o pedido dos governadores que promoveram a Ação Direta de inconstitucionalidade (ADIN). Parcialmente porque o STF considerou que o Piso é constitucional. Modificou o seu conteúdo, mas o considerou constitucional.
A decisão do STF não é definitiva. Ela é liminar, mas está valendo até que o Supremo analise o mérito da questão.
Isto significa que em 2009, a mobilização da sociedade brasileira deve ser redobrada para que esta questão seja incorporada à agenda do STF e dos governantes municipais e estaduais.
Teremos muitos embates sobre este tema em 2009. Nos preparemos para enfrentá-los.

FERNANDO MINEIRO
É deputado estadual (PT).

Coluna de Canindé Queiroz

PROJETO DE IRRIGAÇÃO INCLUÍDO NO PAC

Recebo do ex-deputado e atual diretor do Departamento Nacional de Obras contra à Seca (DNOCS), Elias Fernandes, a ótima notícia dando conta que o Governo Federal assegurou a inclusão do projetos de irrigação da Chapada do Apodi no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O ministro Gedel Vieira ligou ontem para o Elias Fernandes questionando quais seriam as obras prioritárias para serem incluídas e ele não teve dúvidas em citar o projeto e que foi imediatamente autorizado ontem à tarde pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

MAIS DE DEZ MIL EMPREGOS NA REGIÃO

De acordo com o ex-deputado Elias Fernandes, o Governo Federal vai liberar para início das obras referentes à primeira etapa do projeto, cerca de R$ 90 milhões. O diretor-geral explicou que a obra absorverá dez mil empregos.

COMPROMISSO FEITO EM CAMPANHQ

O projeto de irrigação da Chapada do Apodi foi um dos pontos de destaques na campanha do senador Garibaldi Filho quando candidatou-se ao governo estadual em 2006. Mesmo sem ter sido eleito governador, na condição de senador, ele lutou para que a obra se tornasse realidade, contemplando a cidade de Apodi.

sábado, 20 de dezembro de 2008

JANTAR DO SINTRAPMA







O Sindicato dos Servidores Público municipal(SINTRAPMA) realizou o primeiro

Jantar de confraternização individual. Em anos anteriores foi feito juntamente com outra entidade, com um grande número de participantes (sócios, familiares e convidados), o mesmo foi servido na ABB, ao som da boa música dos irmãos Bandeiras, o que realmente foi uma noite de descontarão onde todos comeram , beberam a vontade, quase tudo de graça, apenas a cerveja pagava-se uma quantia simbólica de um real. Teve também a participação do grupo Arte Mania da comunidade de Rio Novo que apresentou algumas danças comandadas pela coordenadora Katiuça; grande amiga nossa que faz questão de mostrar arte da dança em qualquer tipo de evento. Quem esteve no jantar de ontem a noite observou como foi bem organizado o evento, diferente de outros passado onde foi corrigido algumas falhas, nesse tudo foi na hora certa, a comida estava muito boa, não teve aquele tumulto nas mesas do self-servec como nos outros, as filas fluia normalmente, mesmo tendo um número grande de participantes, aproximadamente quinhentas pessoas ninguem se canssou. parabéns ao pessoal da organização. Outra parte que sempre está presente nos jantares dos servidores públicos é o cobiçado sorteio, foram muitos sorteados, mas somente concorria aos prêmios quem era do quadro de servidor público municipal, a pessoa que fosse sorteada era chamada recebia o premio na hora, se não estivesse presente mas se alguém estava lhe representando também levava o premio. Júnior Teodoro juntamente com João Bosco, Magda e Roberlandia comandaram o sorteia com muita competência. Parabéns aos Servidores municipais, Parabéns aos que fazem O SINTRAPMA- João Bosco e toda Diretoria, um feliz Natal e se Deus quiser Próximo ano faremos novamente um outro desse ou maior.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Moralidade

Tudo bem, maior número de vereadores sugere mais representatividade da população nas Câmaras Municipais. Por esse ângulo, a “PEC dos Vereadores” é simpática. Necessária, digamos. Agora, a forma como o Senado atuou para aprovar a proposta parece condenável. A badalada Proposta de Emenda Constitucional que cria 7.924 cadeiras de vereador em todo o país, ocupou dois momentos no Senado, depois de aprovada na Câmara dos Deputados: 1 - A PEC chegou à Casa em tempo para ter efeito sobre as eleições 2008, mas os senadores evitaram a votação. Como estava inserida a redução de despesas nos legislativos, o Senado cedeu pressão das chamadas grandes câmaras (São Paulo, Rio, Portalegre e Belo Horizonte, entre outras), e não levou a matéria à votação. 2 - A PEC foi “ressuscitada” depois das eleições e, na madrugada de ontem, votada e aprovadas em dois turnos, sendo que os senadores, para não contrariar os interesses das grandes câmaras, retiraram o artigo que definia a redução nas despesas das casas legislativas. Condenável. Passou a idéia de prática oportunista, na medida em que agradou o universo de suplentes que sonham com um mandato, sem mexer com o bolso dos gigantes. Soma-se aí a abertura, perigosa, de precedente ao “eleger” vereadores sem o voto do eleitor. Correto, então, a posição adotada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT) de não assinar a promulgação da proposta. O argumento de Chinaglia é de fácil e aceitável entendimento, na medida em que ele alerta que a PEC dos Vereadores foi aprovada pela Câmara de uma forma, e alterada no Senado com a retirada, para apreciação e votação paralela, do artigo que trata da redução dos repasses (duodécimo) aos legislativos. O fato é que o impasse adiou o aumento no número de vereadores em todo o País. Certamente, a PEC será aprovada e promulgada noutro momento, provavelmente em 2009, para ter efeito nas eleições de 2012. Com todos os seus itens, inclusive, a redução de despesas. Assim, a sociedade se sentirá segura e verdadeiramente representada nas casas legislativas.

César Santos

Jornal de Fato

Prosa & Verso do Poeta Cripiniano Neto

A simbologia de um sapato - Parte 1

Lejeune Mirhan, presidente do Sindicato dos Sociólogos do Estado de São Paulo, escritor, arabista e professor membro da Academia de Altos Estudos Ibero-Árabe de Lisboa e membro da International Sociological. Ele escreveu um artigo no site O Vermelho que bem retrata o sentimento do povo árabe e de todos os seres humanos que são solidários com o sofrimento daquela gente que já perdeu 200 mil vidas sob as balas dos invasores americanos e europeus que ocuparam o Iraque em nome da derrubada do ditador Saddam Hussein e do combate ao terrorismo, mas que ali está para roubar o petróleo árabe e implantar uma ditadura pior que a de Saddam.

Vamos ao artigo e acompanhemos a seqüência de fotos que fez o mundo vibrar.

Al Zaide é jovem mesmo. Tem apenas 29 anos. Foi, ainda sob o governo de Saddam Hussein, presidente de uma entidade estudantil. Segundo a emissora Al Jazira, é membro do partido Comunista Iraquiano. Tem muitos irmãos e alguns deles mortos em combate na resistência contra a ocupação do Iraque por tropas estrangeiras desde 2003. Zaide é jornalista da emissora de TV Al Baghdadiya (cuja sede central fica no Cairo). Todas as reportagens da TV que ele faz na cidade de Bagdá ele conclui dizendo "da Bagdá ocupada". A própria emissora que o emprega exigiu a sua imediata libertação, assim como o Sindicato dos Jornalistas do Iraque.
AL Zaide virou instantaneamente um herói nacional. E usou a sua arma mais potente tanto física como simbolicamente de que dispunha no momento: seus sapatos de sola de borracha pesados, não teve dúvidas. Foi ficando cada vez mais irritado com a entrevista coletiva que Bush vinha dando, com suas mentiras habituais, ao lado do primeiro ministro fantoche do Iraque, Nuri Al Maliki. Num determinado momento, decidiu arremessar, em seguida, os seus dois sapatos contra Bush. A catatonia dos presentes e mesmo da segurança presidencial foi tamanha, que ele conseguiu inclusive tempo para atirar o segundo sapato.
A frase que ele proferiu, gravada ao vivo por todas as emissoras presentes foi: "É o seu beijo de despedida do povo iraquiano, seu cachorro. Isso é pelas viúvas, órfãos e pelos que foram mortos no Iraque". E não precisava dizer mais nada. AL Zaide mostrava-se ao mundo como o vingador dos mais de 200 mil iraquianos mortos, representava o sentimento de uma nação destruída, desmontada, aviltada, vendida, entregue à sanha imperialista e com quase toda a sua infra-estrutura destruída e vendida ao setor privado (doadas na verdade).
Sua fama foi instantânea. Foi saudado no mundo inteiro. Passeatas saíram às ruas para exigir a sua imediata libertação. Circulou a informação de que um empresário saudita estaria oferecendo dez milhões de dólares por um dos sapatos que foram arremessados contra Bush. A foto de Al Zaide não saia de todas as TVs árabes e os jornais americanos publicaram o sapato "voador" passando rente à cabeça de Bush. Claro, os americanos procuraram minimizar o fato, dizendo que o mesmo não tinha importância alguma e que o jornalista não agiu em nome de nenhuma organização e não expressava a vontade do povo. Pura balela. Só se falava do ato de bravura praticado por um árabe contra o chefe do império mais odiado da história.
Os policiais que o prenderam, o espancaram brutalmente. Seu irmão, Maitham Al Zaide, afirma que diversas de suas costelas foram quebradas e seu olho foi atingido por coronhadas de fuzil. Continua preso sem que nenhuma acusação lhe tenha sido feita e comunicado formalmente à justiça a sua detenção. Fala-se que poderia pegar de sete até quinze anos de cadeia por ter tentado agredir chefe de estado estrangeiro em visita ao Iraque.

Imediatamente, uma rede de advogados formou-se para defendê-lo e exigir a sua libertação. A imprensa noticiou mais de cem advogados dispostos a prestar seus serviços gratuitamente para que ele possa ser libertado. O chefe da defesa de Saddam Hussein, dr. Jalil Al Duleimi, será o provável defensor central de Al Zaide. Ainda continua sem nenhum contato tanto com seus familiares, como amigos e advogados, num claro desrespeito às tais normas mínimas de direitos humanos que os Estados Unidos tanto, e hipocritamente, pregam pelo mundo afora, mas sem respeitá-las em lugar nenhum onde tem hegemonia.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Senado aumenta em 7.343 número de vereadores e regulariza criação de 57 municípios

da Folha Online
da Agência Senado

O Senado aprovou na madrugada desta quinta-feira a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que aumenta dos atuais 51.924 para 59.267 --acréscimo de 7.343-- o número de cadeiras nas Câmaras Municipais de todo o país.

A emenda será promulgada pelo Congresso ainda hoje e entra em vigor imediatamente. O Senado aprovou ainda uma outra PEC que confirma a criação de 57 municípios que estavam ameaçados de extinção.

A primeira proposta altera a proporcionalidade de vereadores em relação ao número de habitantes do município. São criadas 24 faixas de número de vereadores: os municípios com até 15 mil habitantes terão nove vereadores, enquanto os municípios com mais de 8 milhões de moradores terão 55 vereadores.

O projeto previa que a alteração no número de vereadores já valesse para os eleitos em 2008, mas uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) impediu que os novos 7.343 legisladores assumam em 2009.

A PEC foi aprovada devido a um acordo de líderes que permitiu a realização de sessões extraordinárias seguidas, contando prazos de votação --a PEC precisa ser discutida por cinco sessões, em primeiro turno, e por três, em segundo turno.

No primeiro turno, a emenda recebeu 54 votos favoráveis, cinco contrários e uma abstenção. Poucas horas depois, no segundo turno, ela obteve 58 a favor, cinco contra e uma abstenção.

Novos gastos

Nesta semana, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado retirou do texto o artigo que reduzia os percentuais de repasse das receitas dos municípios para as Câmaras.

Com a mudança, as Câmaras Municipais vão continuar a receber o montante previsto pela Constituição Federal, sem aumento nos gastos mesmo com a criação dos novos cargos.

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) tentou convencer os senadores a aprovar uma emenda ao projeto que proibia as Câmaras de aumentar seus gastos em 2009, comparando-se com 2008. A sugestão foi ignorada porque, se fosse aceita, o projeto teria de retornar ao exame dos deputados, para votação da mudança.

A emenda constitucional aprovada busca resolver uma polêmica criada em 2004, quando o TSE baixou uma resolução estabelecendo instruções sobre o número de vereadores a serem eleitos segundo a população de cada município.

A resolução redistribuiu os municípios em 36 faixas e deu nova interpretação à matéria, reduzindo o número de vereadores em 2.409 municípios. A decisão do TSE proporcionou ainda aumento no número de vereadores em 19 municípios.

Municípios

O Senado aprovou a PEC que confirma a criação de 57 municípios que estavam ameaçados de ser extintos. O risco existia porque esses municípios --quando foram criados --não seguiram uma emenda de 1996 que suspendeu a prerrogativa concedida aos Estados para autorizar a criação de novas cidades.

Pela emenda, os municípios só poderiam ter sido criados segundo uma lei federal que determinasse, por exemplo, o número mínimo de habitantes e a arrecadação necessária para a sua criação. O Congresso nunca aprovou tal lei, mas as cidades acabaram criadas.

A nova emenda também deve ser promulgada hoje em sessão do Congresso Nacional.

Para que a votação ocorresse, foram quebrados os interstícios regimentais, isto é, ocorreram numa mesma noite todas as sessões de discussão e os dois turnos de votação necessários para que se aprove uma mudança na Constituição.

A CCJ do Senado aprovou na semana passada a PEC.

Em outubro deste ano, o Senado chegou a aprovar projeto que, além de regularizar a situação das 57 cidades ameaçadas de extinção, define regras para criação, incorporação, fusão, desmembramento e instalação de municípios.

De acordo com a CNM (Confederação Nacional dos Municípios), as 57 cidades reconhecidas hoje estão nessa situação. Na Câmara, os deputados haviam incluído também os municípios de Mojuí dos Campos (PI), Balneário Rincão (SC), Pescaria Bravo (SC), Paraíso das Águas (MT) e Nazária (PI) --os quais não foram incluídos na medida do Senado.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

DIPLOMAÇÃO





Foram diplomado agora apouco os prefeitos e vices, vereadores e suplentes eleitos na última eleição municipal de três de outubro, a diplomação se deu no Fórum de justiça onde funciona a 35ª Zona eleitoral da comarca de Apodi, o Dr. Juiz; Patrício Lobo Vieira iniciou a cerimônia pontualmente ás 16 h com o hino Nacional e depois com discurso de elogio a lisura do pleito e a tranqüilidade com que se deu as eleições deste ano, tudo isso devido uma equipe de funcionários competente que desempenhou um trabalho com muita competência segundo o mesmo. Os prefeitos foram os primeiros a serem diplomados logo em seguida vices, vereadores e suplentes, como a comarca de Apodi abrange cinco municípios da regiã, iniciou por o município sede.

APODI: Maria Gorete da Silveira Pinto e o Vice Evandro Marinho de Paiva. Vereadores: Francisco Hélio Ferreira Machado,João Evangelista de Menezes Filho, Arnaldo João da Costa, Francisco Nilson Fernandes de Lima, Paulo Luciano Ferreira Gomes, Genivan Aires da Costa, Raimundo Nonato Carlos Júnior, Antônio Ângelo de souza Suassuna e Francisco de França Pinheiro.

Suplentes: Antonio de Souza Maia Júnior (não compareceu), Maria Dilma Viana e Edileuza da Costa Ferreira e Edimilson Xavier da Costa Filho(Edimilson Braçinho).

FELIPE GUERRA:

Prefeito: Braz Costa Neto e Vice

Vereadores: Francisco Ubiraci Feitosa Pascoal, Reginaldo Luciano da Costa, Francisco Flavio Gurgel, Salomão Gomes de oliveira, Otoniel Maia de oliveira, Genilson Sntan de Nogueira, José Wandilson de Oliveira, Paulo Cezar Benevides Sena, Pedro Alves Cabral Neto.

ITAÚ :

Prefeito: Antonio Edison de Melo e Vice.

Vereadores: Francisca Vanilma Filgueira Brasil, Arivan Alves Brasil, Sandra Maria de Melo Praxedes Freitas, Paulo Ricardo Holanda Moreira, José Melo Filho, Francisco Gildo Pinheiro, Ítalo Francisco Gonçalves Medeiros, Antonio Dias Pinheiro, Stevson Marcio Maia de Lima e Suplentes e os Suplentes

RODOLFO FERNANDES:

Prefeito:

Maria Bernandete Dantas de Oliveira

Vereadores: João Wadino da Silva Monteiro, Manoel Freitas Cavalcante, Francisco Wilson de Freitas Rego Filho, Enoque Ferreira, Francisca Erineide Freitas Negreiros, Maria de Fátima Monteiro Bessa, Juarez de Freitas Rego, Francisco Victo de Mendonça, Marcos Luiz Batista Oliveira e Suplentes.

SEVERANO MELO:

Silvestre Monteiro Martins e Vice;

Vereadores: Francisco Getúlio de oliveira andrade, Raimundo Cândido de Lima, Francisco Gilson Melo de Carvalho, Antonio Derimar Barra, Hanne Bruno Figueredo de Melo, Rubens Gomes Ferreira, Francisco Geronildes Moura, Maurício José da Silva e os Suplentes.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Supremo julga quarta-feira ação contra o Piso Salarial Nacional

CNTE realiza ato público pela constitucionalidade da Lei

O STF (Supremo Tribunal Federal) marcou para a próxima quarta-feira (17), às 14 horas, a sessão de julgamento da liminar da ADI 4167, que questiona a constitucionalidade de diversos dispositivos da Lei 11.738/08 instituindo o Piso Salarial Profissional Nacional do magistério público da educação básica.

A CNTE realizará um ato público em frente ao Supremo, durante o julgamento, que contará com a participação de trabalhadores em educação, representantes das entidades filiadas de todo o país. A sessão de julgamento da ADI será aberta ao público.

As atividades do seminário de lançamento da 2ª Revista Retratos da Escola, uma publicação da Esforce (Escola de Formação da entidade), agendadas a partir das 8:30 do dia 17, no auditório da Confederação.


CNTE


IBGE: Cinco municípios concentravam um quarto da renda do país em 2006

Um quarto de toda a renda gerada no país estava concentrada, em 2006, em apenas cinco municípios, de um total de 5.564: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba. Além disso, numa análise mais ampla, 50 cidades, onde residiam mais de 30% da população brasileira, eram responsáveis pela metade de toda a riqueza produzida no país. Por outro lado, os 1.359 municípios que ocupavam a base da pirâmide, na última faixa de participação relativa do Produto Interno Bruto (PIB), respondiam por 1% de toda a geração de renda e concentravam 3,4% da população.

Os dados fazem parte da pesquisa Produto Interno Bruto dos Municípios Brasileiros 2003-2006, divulgada hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desenvolvido desde 2000, o PIB dos Municípios é um estudo realizado em parceria com os órgãos estaduais de estatísticas, secretarias estaduais de governo e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O levantamento traz os resultados do valor adicionado da agropecuária, indústria, serviços e administração pública, entre outros.

De acordo com o documento, “esses números mostram a concentração da geração interna da renda e também a difusão espacial na produção da riqueza”. Trata-se de uma realidade que, quando comparada à do ano de 2002, manteve-se praticamente inalterada. Naquele ano, apenas quatro municípios já agregavam 25% do PIB e 48 municípios eram responsáveis por metade da renda gerada no país.

O estudo também aponta que o conjunto de capitais brasileiras representavam 34,4% da renda nacional, com destaque para a Região Sudeste (19,4%), seguida pelo Centro-Oeste (5,1%), Nordeste (4,5%), Sul (2,9%) e Norte (2,5%).

Outro dado revelado pelo levantamento confirma as disparidades da distribuição da renda: os 10% dos municípios com maior PIB em 2006 chegavam a gerar 24,4 vezes mais riqueza do que os 50% dos municípios com menor PIB.

Quando se observam apenas as Regiões Norte e Nordeste, o modelo se repete. Na maioria dos estados, os cinco maiores municípios concentravam mais do que a metade do PIB estadual. Já no Sudeste, embora não se tenha verificado padrão específico, os cinco maiores municípios do Espírito Santo e do Rio de Janeiro concentravam mais de 65% do PIB de seus estados. Nas Regiões Sul e Centro-Oeste essa concentração era bem menor, exceto em Mato Grosso do Sul (55,3%).

O levantamento indica que entre os municípios que individualmente respondiam por pelo menos 0,5% do PIB nacional em 2006, em relação a 2005, os maiores ganhos de participação percentual foram verificados em Campos dos Goytacazes (RJ), influenciado pelo aumento de produção de petróleo e gás natural e à alta do preço do barril; Betim (MG), com a expansão na indústria automobilística, de autopeças, no refino do petróleo e do comércio atacadista; Barueri (SP), puxado pela atividade industrial, serviços de informação e comércio; Manaus (AM), influenciado pelo desempenho do Pólo Industrial do Amazonas; e Guarulhos (SP), com destaque para os segmentos de máquinas e de equipamentos, metal-mecânico e material elétrico.

O estudo revela ainda que os cinco municípios de menor PIB em 2006 foram: São Félix do Tocantins (TO), Quixabá (PB), Olha d´Água do Piauí (PI), São Miguel da Baixa Grande (PI) e Santo Antônio dos Milagres (PI). Juntos, eles respondiam, em 2006, por 0,001% do PIB total do país.

Agência Brasil

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Senado: Projeto que institui o Estatuto dos Museus será votado amanhã

A relatora do projeto de lei da Câmara (PLC 115/2008) que institui o Estatuto dos Museus, a líder do PT e do Bloco de Apoio ao Governo, Ideli Salvatti (PT-SC), destaca a importância de se criar um estatuto para regulamentar o sistema brasileiro de museus. A matéria será apreciada na Comissão de Educação nesta terça-feira (16).
“A expectativa do setor em torno da regulamentação da atividade é muito grande”, afirma Ideli, por permitir uma gestão melhor dos museus.
O PLC 115 que institui o Estatuto dos Museus é composto por 70 artigos que disciplinam o Sistema dos Museus, da Sociedade e Museus, do Plano Museológico, dos Acervos, do Uso das Imagens e Reprodução dos Bens Culturais dos Museus, da Difusão Cultural, dos Museus Públicos e outros.
A proposição é de autoria da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados (PL nº 07568/2006).
Ideli lembra que há dois meses o Senado aprovou seu projeto que cria o Fundo Nacional dos Museus, cujo objetivo é dar maior visibilidade ao segmento. Ao estabelecer o estatuto para os museus, segundo ela, já com o Fundo Nacional dos Museus aprovado, o setor poderá apresentar um significativo avanço profissional e de gestão.

Assessoria de Imprensa/Liderança PT