domingo, 31 de outubro de 2010

Dilma Rousseff é eleita primeira mulher residente do Brasil

Acandidatado PT à Presidência, Dilma Rousseff, foi eleita neste domingo e será a primeira mulher a ocupar o cargo mais alto da República.

Com 98,66% das urnas apuradas, Dilma tinha 55,93% dos votos, contra 44,07% de José Serra.

No total, segundo o TSE, a petista teve mais de 55 milhões de votos e o tucano pouco mais de 43 milhões. A eleição também teve um alto índice de abstenção. Mais de 21% dos eleitores deixaram de votar neste domingo.

Esse é o primeiro cargo eletivo conquistado por Dilma Rousseff, de 62 anos. Sua atuação política teve início com a luta armada contra o regime militar, atividade pela qual acabou sendo presa e torturada, no início da década de 1970.

Formada em Economia, a nova presidente do Brasil assumirá um país de economia estável e em fase de forte expansão, mas ainda com velhos problemas, como a desigualdade social, a corrupção e um sistema educacional de qualidade inferior à média de outros países emergentes.

Os desafios políticos também são grandes: eleita com o apoio de dez partidos, Dilma terá de acomodar os interesses de uma ampla base de sustentação, incluindo o maior partido do país, o PMDB, principal aliado do PT no novo governo.

Campanha

Apontada há cerca de três anos pelo presidente Lula como a favorita para sucedê-lo, Dilma teve como principal estratégia de campanha a conquista do eleitorado que aprova o atual governo.

Com popularidade em nível recorde, o presidente não poupou esforços na busca por votos para sua escolhida.

Com papel ativo tanto nos bastidores da campanha como na linha de frente, aparecendo em comícios e na propaganda eleitoral, Lula é considerado o grande trunfo da eleição de Dilma.

A continuidade e a ampliação de projetos criados nos últimos oito anos, como o Bolsa Família e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), estiveram no centro do discurso da candidata, que também exaltou as conquistas da atual administração, entre elas a quitação da dívida brasileira junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Durante a campanha, Dilma Rousseff também teve de se defender de acusações sobre um suposto esquema de tráfico de influência envolvendo sua sucessora e braço-direito na Casa Civil, Erenice Guerra.

O escândalo é apontado como uma das explicações para a perda de votos sofrida pela candidata petista semanas antes do 1º turno.

A reta final da campanha também foi marcada por um esforço em conquistar parte do eleitorado mais religioso, preocupado com comentários antigos da ex-ministra em favor da legalização do aborto – diferentemente da posição defendida atualmente por Dilma, que se diz contrária a qualquer mudança na legislação.

Biografia

Filha de pai búlgaro e mãe brasileira, Dilma Rousseff nasceu em Belo Horizonte em um ambiente de classe média alta. Sua educação básica ficou a cargo das freiras do Colégio Sion, tradicional centro de ensino da capital mineira.

Aos 17 anos ingressou no Colégio Estadual Central, considerado um dos principais redutos da militância de esquerda na época. O ano era de 1964 e logo o Brasil estaria vivendo um golpe militar.

Atraída pelo tema e pelo clima da militância, Dilma passou a integrar o Comando de Libertação Nacional (Colina), grupo que defendia a luta armada para combater o regime militar.

Em 1970, Dilma Rousseff, então com 23 anos, foi presa por subversão e torturada. Três anos depois conseguiu sua liberdade na Justiça e decidiu recomeçar a vida em Porto Alegre.

No início da década de 1980, Dilma se filiou ao PDT, de Leonel Brizola. A partir daí assumiu cargos como o de secretária da Fazenda da Prefeitura de Porto Alegre e de secretária de Energia e Minas também do governo estadual.

Convidada a integrar o governo de Olívio Dutra, em Porto Alegre, Dilma troca de partido e filia-se ao PT, em 2001. Com a vitória de Lula, em 2002, passa a integrar a equipe de transição.

Para surpresa de alguns, Lula decide nomeá-la ministra de Minas e Energia, em 2003 – cargo que Dilma ocupou por quase quatro anos, até assumir a Casa Civil, em 2005, substituindo José Dirceu, envolvido no caso do mensalão.

Em abril de 2009, Dilma foi diagnosticada com um câncer linfático. Ela assumiu publicamente a doença os efeitos de seu tratamento.

Em setembro deste mesmo ano, médico divulgaram diagnóstico que apontava que Dilma estaria livre do linfoma.

Da BBC Brasil

Governadores - 2º turno
Distrito Federal DF
  • Urnas: 100,00%
  • 100,00%
AGNELO - PT 66,10%
RORIZ - PSC 33,90%


Goiás GO
  • Urnas: 100,00%
  • 100,00%
MARCONI PERILLO - PSDB 52,99%
IRIS REZENDE - PMDB 47,01%


Amapá AP
  • Urnas: 100,00%
  • 100,00%
CAMILO CAPIBERIBE - PSB 53,77%
LUCAS - PTB 46,23%


Pará PA
  • Urnas: 99,79%
  • 99,79%
SIMAO JATENE - PSDB 55,76%
ANA JULIA - PT 44,24%


Paraíba PB
  • Urnas: 100,00%
  • 100,00%
RICARDO COUTINHO - PSB 53,70%
ZE MARANHAO - PMDB 46,30%


Piauí PI
  • Urnas: 99,22%
  • 99,22%
WILSON MARTINS - PSB 58,86%
SILVIO MENDES - PSDB 41,14%


Alagoas AL
  • Urnas: 99,41%
  • 99,41%
TEOTONIO VILELA - PSDB 52,70%
RONALDO LESSA - PDT 47,30%


Roraima RR
  • Urnas: 100,00%
  • 100,00%
ANCHIETA - PSDB 50,41%
NEUDO CAMPOS - PP 49,59%


Rondônia RO
  • Urnas: 100,00%
  • 100,00%
CONFUCIO MOURA - PMDB 58,68%
JOÃO CAHULLA - PPS
Folha de São Paulo

Apuração chega a 95,4% e Dilma ganha com 55,65%. Serra perde com 44,35%

Já são 95,40% os votos apurados em todo o país.
Eis o resultado até agora:

Dilma - 55,65%
Serra - 44,35%
Abstenção - 21,27%
Brancos - 2,33%
Nulos - 4,40%
B.Thaisa Galvão

sábado, 30 de outubro de 2010

FESTA PARA OS FUNCIONÁRIOS DO FERREIRA PINTO










A Escola Estadual Ferreira Pinto fez uma grande Festa neste dia 28 de outubro para comemorar o dia do funcionário publico, Essa instituição de ensino não deixa passar as datas comemorativas sem que faça alguma eventos como; são João, dia da criança, dia do funcionário público, natal etc. dessa vez a homenagem foi para professores e funcionários juntos com muita musica, comida e cerveja para todo mundo. Parabéns pela organização de mais um grande evento, parabéns pela família Ferreira pinto, palavras da diretora Maria Rita. Vejam as fotos.

ANP: Libra pode chegar a 15 bi de barris de petróleo

, Em sexta-feira 29/10/2010, às 14:38

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) acaba de informar que a descoberta de petróleo realizada no pré-sal, no poço 2 - ANP - 2 A - RJS, em área pertencente à União, tem capacidade de 3,7 a 15 bilhões de barris de petróleo recuperável, considerando o volume recuperável da União. Ontem a Agência Estado antecipou que em até 48 horas a ANP iria anunciar essa descoberta.

Ainda de acordo com a ANP, a estimativa mais provável de reservas no local é de 7,9 bilhões de barris, de acordo com avaliação da certificadora Gaffney, Cline & Associates. "É importante destacar que somente este prospecto de Libra pode vir a ter um volume de óleo recuperável superior às atuais reservas provadas brasileiras, próximas de 14 bilhões de barris de petróleo", destacou em nota a agência.

O poço situa-se a 183 km da costa do Rio de Janeiro, em lâmina d'água de 1.964 metros e até o momento a profundidade atingida é de 5.410 metros, com 22 metros perfurados no pré-sal. A profundidade final prevista, de cerca de 6.500 metros, deverá ser alcançada somente no início de dezembro. "O poço 2 - ANP - 1 - RJS, no prospecto de Franco, e 2 - ANP - 2A - RJS, em Libra, foram perfurados em área da União com o objetivo de aumentar o conhecimento sobre o potencial petrolífero do pré-sal brasileiro", destaca a ANP, para que a descoberta "valoriza enormemente o patrimônio da União", aponta o comunicado.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Dilma tem 57%, e Serra, 43%, diz Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (28) aponta Dilma Rousseff (PT) com 57% dos votos válidos e José Serra (PSDB) com 43% na disputa em segundo turno pela Presidência da República.

Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Dilma pode ter entre 55% e 59%, e Serra, entre 41% e 45%. O critério de votos válidos exclui as intenções de voto em branco e nulo e os indecisos.

Na pesquisa anterior do Ibope, divulgada no último dia 20, Dilma aparecia com 56% dos votos válidos e Serra com 44%.

O Ibope entrevistou 3.010 eleitores, de 26 a 28 de outubro. A pesquisa foi encomendada ao instituto pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

Está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número de protocolo 37596/2010.

Votos totais

Pelo critério de votos totais (que incluem no cálculo brancos, nulos e indecisos), Dilma Rousseff soma 52% das intenções de voto, e José Serra, 39%. As intenções de voto em branco ou nulo acumulam 5%, segundo o Ibope. Os eleitores indecisos são 4%.

Nos votos totais da pesquisa anterior do Ibope, do último dia 20, Dilma tinha 51%, e Serra, 40%. Brancos e nulos eram 5%, e indecisos, 4%.

B. do Noblat

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

CNT/Sensus: Dilma 51,9%; José Serra 36,7%

Pesquisa CNT/Sensus, divulgada há pouco em Brasília, aponta a candidata à sucessão de Lula, Dilma (PT), com 51,9% das intenções de votos contra 36,7% de Serra (PSDB).

Votos nulos e aqueles que não souberam responder somam 11,5 %.

Em comparação com a pesquisa divulgada na última quarta-feira (20), Dilma subiu 5,1% e Serra caiu 5,1%.

Ao se verificar apenas os votos válidos (descontados os nulos e brancos), Dilma tem 58,6% contra 41,4% de Serra.

Em comparação com a última pesquisa Dilma cresceu 5,8% e Serra caiu o mesmo percentual, 5,8%.

Na pesquisa espontânea (em que não é apresentado o nome do candidato aos entrevistados), Dilma tem 50,4 %, Serra 35,7%.

Segundo a pesquisa, Serra apresenta o maior índice de rejeição com 43%. Esse é o maior índice registrado ao longo de toda a campanha. Em contrapartida, 32,5% dos entrevistados disseram que não votariam em Dilma.

Na última pesquisa, Serra tinha 39,8% de rejeição contra 35,2% de Dilma.

A margem de erro é de 2,2 % para mais ou para menos.

A pesquisa foi encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e realizada entre os dias 23 e 25 de outubro em 136 municípios de 24 estados. Foram feitas 2 mil entrevistas.

CNT/Sensu: Dilma amplia vantagem e lidera em 4 regiões

Pesquisa CNT/Sensus divulgada há pouco em Brasília mostra que as intenções de votos da candidata Dilma (PT) aumentaram em quatro das cinco regiões do país.

De acordo com a pesquisa, a candidata só não lidera no Sul, onde Serra registra crescimento.

Confira a comparação feita entre a pesquisa CNT/Sensus divulgada no último dia 20 de outubro com a de hoje.

Norte/Centro Oeste
Dilma tinha 42,1% passou para 50,7%
Serra tinha 52,6% passou para 40,4%

Nordeste
Dilma tinha 57,5% passou para 66,3%
Serra tinha 34,8% passou para 25,5%

Sudeste
Dilma tinha 44,2% passou para 48,4%
Serra tinha 41,6% passou para 36,7%

Sul
Dilma tinha 38,2% passou para 35,4%
Serra tinha 45,1% passou para 54%

A margem de erro é de 2,2 % para mais ou para menos.

A pesquisa foi encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e realizada entre os dias 18 e 19 de outubro em 136 municípios de 24 estados. Foram feitas 2 mil entrevistas.

Do B. da Dilma

terça-feira, 26 de outubro de 2010

FHC deu aval à mudança de nome da Petrobras

do leitor ruypenalva, que retirou do Tijolaço.

PT-SP quer que Ministério Público apure escândalo envolvendo licitação do Metrô



O deputado Jilmar Tatto (PT-SP) informou nesta terça-feira (26) que a bancada estadual do PT entrará com uma representação no Ministério Público (MP) para investigar o vazamento, seis meses antes, do resultado da licitação para a construção de novos trechos do Metrô de São Paulo.

Os parlamentares querem apurar as suspeitas de fraude no processo licitatório, que só foi publicamente conhecido na ultima quinta-feira (21). No entanto, o jornal Folha de S.Paulo já conhecia os consórcios vencedores há seis meses.

"Desde que os tucanos assumiram a administração do estado de São Paulo surgiram várias denúncias de fraude e corrupção em licitações no estado. No entanto, nenhuma das denúncias foi investigada por meio de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) porque os tucanos barraram todas. Já que a Assembléia legislativa não apura, vamos pedir ao MP que investigue", disse Jilmar.

O episódio do vazamento dos vencedores da licitação do metrô, associado aos demais escândalos envolvendo os tucanos, disse Jilmar Tatto, são uma pista de como poderia ser a gestão de Serra, na hipótese de ocupar o cargo de presidente.

Fachada

Na avaliação do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), o vazamento antecipado dos consórcios vencedores do processo de licitação demonstra que todo o procedimento serviu apenas como fachada para encobrir os acordos entre as empreiteiras e o governo. "Isso é um importante indício de fraude. Se a licitação foi suspensa por um período, e mesmo assim os vencedores continuaram os mesmos, é prova de que as empreiteiras fizeram uma combinação para manter as margens altíssimas de lucro e provavelmente levar algum benefício para pessoas ligadas ao governo", denunciou.

O parlamentar também reclamou da falta de investigação das fraudes tucanas, tanto pelo MP, quanto pela Assembléia Legislativa do Estado.

Fraude

Entre os dias 20 e 23 de abril deste ano, o jornal Folha de S.Paulo registrou o nome dos vencedores da licitação em um vídeo e também no 2º Cartório de Notas de SP. A licitação foi aberta em outubro de 2008, quando o governador de São Paulo era José Serra (PSDB), que no início de abril deste ano entregou o governo para o seu vice, o tucano Alberto Goldman, para disputar a Presidência da República.

O resultado da licitação foi conhecido previamente pela Folha apesar de o Metrô ter suspendido o processo em abril e mandado todas as empresas refazerem suas propostas. A suspensão do processo licitatório ocorreu três dias depois do registro dos vencedores em cartório. O valor dos lotes de 2 a 8 passa de R$ 4 bilhões.

Site PT

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Evangélicos de Parnamirim estão com Dilma

Os evangélicos de Parnamirim deram uma grande demonstração de apoio à candidatura de Dilma, durante o encontro realizado na Associação dos Moradores da Cohabinal, em Parnamirim. O evento reuniu evangélicos de várias denominações e contou com a presença do pastor, cantor e deputado federal eleito Marco Feliciano (PSC-SP). Além dele, o prefeito Maurício Marques (PDT), a ex-governadora Wilma de Faria (PSB), a deputada federal Fátima Bezerra (PT), o deputado estadual Fernando Mineiro (PT), o presidente municipal do PT, José Amorim, pastores e líderes evangélicos de diversas igrejas locais prestigiaram o ato em defesa da candidatura de Dilma. Marco Feliciano, segundo evangélico mais votado do País, com mais de 200 mil votos em São Paulo, repudiou a campanha difamatória da oposição contra Dilma, chamou a atenção dos evangélicos para não se deixarem levar pelas mentiras e pela boataria e afirmou que a candidata petista "tem a cara o Brasil".
"O medo foi vencido pela esperança e oito anos depois é a mentira que será vencida pela verdade. Nós estamos numa guerra fria, desumana e não podemos cair na malha dos adversários. Temos que abrir a mente dos crentes e dizer que vamos eleger a pessoa que vai governar o País, não o pastor ou bispo da nossa igreja", argumentou.
"No dia 31 de outubro, o número 13 vai estar em destaque. Dilma será eleita presidente do País. O que será vencedor não é a esperança, é o amor porque o amor vence tudo", acrescentou. A deputada federal Fátima Bezerra comemorou a vantagem de Dilma nas pesquisas, mas lembrou que a militância não pode "baixar a guarda", convocando os evangélicos para se engajarem na reta final da campanha.
Fátima enfatizou que, mais uma vez, a verdade vai derrotar a mentira. "Como disse o presidente Lula, é proibido cochilar. Vocês é que fazem a diferença, porque levam a mensagem de Dilma com muito amor", declarou aos evangélicos. A ex-governadora Wilma de Faria destacou os avanços sociais do governo Lula e convocou todos a se engajarem para dar uma grande vitória a Dilma. "Quando falo em Dilma, falo em desenvolvimento econômico e social, em coragem e determinação. Ela é uma mulher que deseja fazer justiça a todos os brasileiros e atender os menos privilegiados", discursou. O prefeito de Parnamirim, Maurício Marques, disse que não só os evangélicos, mas todos os eleitores do município estão sendo beneficiados pelas obras do Governo Federal e, por isso, farão justiça e elegerão Dilma presidente do Brasil.
Da Gazeta do Oeste

domingo, 24 de outubro de 2010

Record notícia depoimento do Amaury – Globo e Folha ainda escondem abafando a corrupção de Serra


Record noticiou o conteúdo do depoimento do jornalista Amaury Ribeiro Júnior.

A Globo (TV e jornal) e a Folha de São Paulo, escondem a notícia, abafando e protegendo José Serra de três escândalos de corrupção:
- a montagem de um grupo de espionagem política;
- negociatas nas privatizações;
- calúnia e injúria ao tentar culpar Dilma por dossiês produzidos por tucanos;

A record noticiou o dispositivo de espionagem a serviço de Serra, comandado por deputado e ex-delegado Marcelo Itagiba, para espionar e fazer dossiê contra Aécio Neves, quando ele ainda disputava prévia dentro do PSDB, segundo Amaury apurou.

O jornal “O Estado de Minas” contra-atacou fazendo a investigação sobre Serra, culminando com quebra dos sigilos fiscais de tucanos e da filha.

O jornalista descobriu operações prá lá de suspeitas de filha e do genro de Serra em paraísos fiscais, com o compadrio de Ricardo Sérgio de Oliveira, um antigo amigo de Serra e tesoureiro de suas campanhas, até envolver-se em diversos escândalos de corrupção no governo FHC, ligados às privatizações.

Confira a íntegra do depoimento na PF publicado pelo jornal Estadão
http://goo.gl/M42p



video